PLANTÃO IRPF – Poupança e Renda Fixa

PLANTÃO IRPF – Poupança e Renda Fixa

No Brasil há uma série de maneiras de investir o dinheiro, e as maneiras mais comuns são as mais conservadoras, aquelas que, embora não deem tanto retorno, também não deixam o investidor correndo perigo de perder seu patrimônio.

Mesmo sendo iguais no quesito “risco”, essas aplicações são diferentes quando trazemos para a realidade de declaração do Imposto de Renda da Pessoa Física. Poupança e Renda Fixa possuem particularidades que deverão ser levadas em conta na hora de preencher o IRPF.

– Poupança:
Mais tradicional investimento do país, os valores atrelados à Poupança aparecerão em dois momentos no IRPF. O primeiro é quando apresentamos os rendimentos e o segundo quando apresentamos o saldo inicial e o saldo final.

Quando rendimento, os valores da Poupança deverão constar na ficha “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis”, no campo “12- Rendimentos de cadernetas de poupança, letras hipotecárias, letras de crédito do agronegócio e imobiliário (LCA e LCI) e certificados de recebíveis do agronegócio e imobiliários (CRA e CRI)”. A Poupança não é passiva de ter retenção IR, nem na fonte e nem como ajuste anual, só há rendimentos, e estes sempre serão isentos.

Enquanto aos saldos da Poupança, deverão constar na ficha “Bens e Direitos”, no campo “41 – Caderneta de poupança”, onde deverá ter alguma descrição (como qual o banco em que o dinheiro está aplicado, por exemplo), a agência e a conta bancária, além, é claro, dos valores no último dia do ano anterior e no último dia do ano a ser declarado.

– Renda Fixa:
Tendo um leque grande de modalidades, como o Tesouro Direto, CDB, LCI, etc., a Renda Fixa, assim como a poupança, poderá aparecer em dois momentos no IRPF, tanto nos rendimentos quanto nos bens e direitos.

No momento do rendimento, os valores da Renda Fixa integrarão a ficha “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva”, no campo “06 – Rendimentos de aplicações financeiras”. Se você tiver mais de um tipo de investimento na mesma corretora, irá somar todos os rendimentos por cada CNPJ, e irá declarar não por investimento, mas pelo CNPJ em questão.

Já na parte dos saldos, aparecerão na ficha “Bens e Direitos”, assim como a poupança, mudando apenas o campo, que será “45 – Aplicação de renda fixa (CDB, RDB e outros)”, neste campo deverá ser preenchido o CNPJ da instituição onde está aplicado o valor, o saldo final do ano anterior e o saldo final do ano da declaração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *