O Ambiente de Trabalho: Saúde Pessoal e Empresarial

O Ambiente de Trabalho: Saúde Pessoal e Empresarial

Em nossa vida pessoal conversamos com quem queremos, quando queremos e às vezes quando precisamos. Isso funciona no meio empresarial?

Em nosso cotidiano passamos por diversas situações desde a hora que acordamos e somos gentis (ou não) com a primeira pessoa que vemos, até o fim do dia quando esperamos um “boa noite” da pessoa mais próxima. O mesmo se passa em seu ambiente e rotinas de trabalho.

Por muitas vezes, e me coloco aqui como exemplo, nos colocamos no automático e desejamos um bom dia pra todos sem ao menos ver pra quem estamos nos dirigindo!

O meio empresarial é perigoso, onde as emoções se expandem de uma maneira que muitas vezes não sabemos lidar.

O ambiente de trabalho necessita de ser cooperativo, colaborativo, amigável, participativo e acima de tudo saudável! Claro, ele também pode – deve – ser competitivo!

A empresa precisa de pessoas, pessoas também precisam de pessoas, e todas essas pessoas precisam da empresa!

É sabido que um bom ambiente de trabalho motiva o funcionário a querer estar naquele ambiente! O tratamento informal se manifesta nas colaborações e integrações realizadas diariamente, inclusive entre os mais diversos departamentos e setores.

É necessário irmos além e entendermos que um ambiente de trabalho não pode ser forçado a parecer bom, ele tem que ser bom para ser forte!

A participação e interação entre as pessoas cria uma atmosfera de colaboração, otimizando o trabalho e acima de tudo aumentando a qualidade no serviço desenvolvido. Claro, essa é a visão de um funcionário. Mas, se imaginarmos que se o ambiente funciona, o trabalho prospera, a participação e a colaboração se tornam rotineiras de uma maneira natural, e isso faz com que não só a saúde física e mental do colaborador melhorem, como também se manifesta na saúde empresarial. E saúde empresarial significa segurança ao trabalhador.

Ambiente e funcionalidade são parceiros. Assim como você e sua empresa!

Autor: Rodrigo Carvalho.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *