INSS 2020 – Quais são as mudanças?

INSS 2020 – Quais são as mudanças?

Em 11/02/2020 foi publicada a Portaria SEPRT/ME nº 3.569/2020 que dispõe sobre o segundo reajuste em 2020 dos benefícios pagos pelo Instituto Nacional do Seguro Social – INSS e dos demais valores constantes do Regulamento da Previdência Social – RPS.

Com as novas regras introduzidas pela Reforma da Previdência e o novo reajuste do salário mínimo que a partir de 01/02/2020 foi fixado em R$ 1.045,00 (Hum mil e quarenta e cinco reais), a partir de 1º de Março, as novas alíquotas de contribuição do segurado do setor privado entram em vigor, conforme demonstrado abaixo:

  • 7,5% até um salário mínimo (R$ 1.045,00);
  • 9% para quem ganha entre R$ 1.045,01 R$ e 2.089,60.
  • 12% para quem ganha entre R$ 2.089,61 e R$ 3.134,40.
  • 14% para quem ganha entre R$ 3.134,41 e R$ 6.101,06.

Desde 1º de Janeiro deste ano, o teto do INSS passou de R$ 5.839,45 para R$ 6.101,06 e isso significa que o trabalhador que receba salário superior ao teto, a contribuição será calculada até o valor de R$ 6.101,06.

Também vale ressaltar que as cobranças serão progressivas, ou seja, será necessário aplicar o salário base na nova tabela de acordo com a parcela que se encaixa em sua respectiva faixa.

Parece complexo né?! Mas não é! Vamos a exemplos práticos e você verá que é simples:

1. Um trabalhador que recebe R$ 2.500,00.

O primeiro passo é verificar em qual faixa esse salário se enquadra.

De acordo com a tabela acima, ele está na faixa de 12%, então faremos:

2.500,00 – 2.089,60 (que corresponde ao valor limite da faixa imediatamente anterior)

410,40 x 12% = 49,25

Agora vamos aos próximos passos:

A –  2.089,60 – 1.045,00

       1.044,60 x 9% = 94,01

B –  1.045,00 x 7,5% = 78,38

Agora somamos o resultado de cada faixa:

49,25 + 94,01 + 78,38 = 221,64

Logo, 221,64 será o valor da contribuição do Segurado a partir de 1º de Março.

Esse mesmo trabalhador na tabela anterior em vigor até 29/02/2020 teria a seguinte contribuição:

2.500,00 x 9% = 225,00

Nesse exemplo temos uma redução de R$ 3,36

2. Um trabalhador que recebe R$ 5.000,00.

O primeiro passo é verificar em qual faixa esse salário se enquadra.

De acordo com a tabela acima, ele está na faixa de 14%, então faremos:

5.000,00 – 3.134,40 (que corresponde ao valor limite da faixa imediatamente anterior)

1.856,60 x 14% = 261,18

Agora vamos aos próximos passos:

A– 3.134,40 – 2.089,60

1.044,80 x 12% = 125,38

B– 2.089,60 – 1.045,00

1.044,60 x 9% = 94,01

E por último:

C– 1.045,00 x 7,5% = 78,38

Agora somamos o resultado de cada faixa:

261,18 + 125,38 + 94,01 + 78,38 = 558,95

Logo, 558,95 será o valor da contribuição do Segurado a partir de 1º de Março.

Esse mesmo trabalhador na tabela anterior em vigor até 29/02/2020 teria a seguinte contribuição:

5.000,00 x 11% = 550,00

Nesse exemplo temos um aumento de R$ 8,95.

3. Um trabalhador que recebe R$ 7.000,00.

O salário está acima do teto da nova tabela, então o valor de contribuição do Segurado será automaticamente de R$ 713,10 a partir de 1º de Março.

Na tabela anterior, o valor de contribuição era de R$ 671,11.

Nesse exemplo temos um aumento de R$ 41,99.

Em resumo, os trabalhadores com faixas salariais mais baixas, passarão a contribuir menos com a Previdência e por outro lado aqueles que se enquadram em faixas salariais maiores terão descontos mais elevados no salário.

Como essas mudanças ocorrerão somente a partir de Março, as diferenças só serão sentidas pelo trabalhador a partir de Abril.

E você, o que achou da nova tabela do INSS?

Achou muito complexo ou não se sente confortável nestes primeiros meses de mudanças? A ETECON, empresa atuante no ramo contábil há mais de 40 anos, possui em seu quadro de colaboradores profissionais capacitados para auxiliar em que for preciso neste assunto e em todos os assuntos correlatos!

Entre em contato conosco pelo telefone:

(12) 3144-1352

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *