• 12 3144-1352
  • etecon@etecontabil.com.br

Arquivos por mês 16 de dezembro de 2020

Contabilidade também pode ser sustentável

A Etecon vem trabalhando lado a lado de opções de baixo impacto ambiental, com isso, a energia solar é uma das mais sustentáveis do mundo, sendo renovável e totalmente limpa. Com ela, a diminuição de poluentes emitidos é diminuída a quase zero. Sem falar do uso de matérias primas escassas da natureza que outras fontes de energia utilizam. Com ela isso não é necessário.

Muitos empresários nem chegam a considerar esse recurso alternativo de energia, por achar que o processo é complicado demais, ou que não funcionará como desejado. Bom, abaixo vamos tirar algumas duvidas sobre esse tema.

Como a energia solar funciona?

A energia solar tem diversas funcionalidades. Por utilizar o sol como fonte de energia, os painéis solares recebem raios que são capitalizados para os painéis solares e gera energia igual qualquer outra fonte de energia.

Em dias nublados vou conseguir gerar energia solar?

A resposta é sim. A produção pode ser um pouco menor do que em relação a dias com o céu aberto, porém mesmo em dias nebulosos os equipamentos solares conseguem absorver energia solar.

Quanto tempo dura os equipamentos solares?

Em média 20 a 25 anos. Porém, isso pode variar podendo chegar até 40 anos. O que pode ocorrer após esse tempo médio de 25 anos é uma possível diminuição dos receptores de raios solares.

Vale a pena investir em energia solar?

Com toda certeza. Além de poder gerar uma economia para sua empresa, você vai ajudar diretamente a natureza e isso, não tem preço.

A Etecon obtém um relatório mensal sobre os impactos evitados na natureza com uso de energia solar. Em total de 11 meses conseguimos evitar 5 tonelada de Co2 de serem emitidas. 136 árvores foram plantadas e 2.971 km evitados.

A energia solar é uma das formas mais brilhantes de agredirmos menos o planeta. A Etecon sempre pensando em formas sustentáveis e de menor impacto ao meio ambiente, recomenda o uso de energia solar para empresas e clientes.

Compartilhe:

LGPD – O que é a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais?

A evolução da tecnologia aplicada na sociedade moderna fez com que o acesso à informação se tornasse cada vez mais fácil para a população. Consequentemente, aumenta se o risco de os dados serem propagados e manipulados indevidamente por terceiros.

Em razão disto foi criada a Lei n° 13.709/2018, mais conhecida como LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados), com o intuito de atribuir obrigações e responsabilidade às pessoas diretamente envolvidas na colheita, guarda, propagação e uso destas informações.

É importante esclarecer que a idéia de proteção de informações pessoais em si não é algo novo. Na verdade, este tópico já vem sendo debatido em diversos países por anos e, inclusive, consta no ordenamento jurídico brasileiro antes mesmo da publicação da Lei n° 13.709/2018.

A LGPD estabelece que não importa se uma organização está ou não localizada no Brasil, que se há o processamento de conteúdo pessoal em território nacional, a LGPD deverá ser cumprida. É determinado que a permissão de compartilhamento de dados com organizações internacionais, deverá ser feita a partir de protocolos seguros e cumprindo as exigências legais.

Qual é o impacto da LGPD no RH?

Para entendermos a importância da segurança de dados, de forma geral, é fundamental termos clareza sobre como eles são utilizados nas rotinas internas do negócio. Os dados são a base do trabalho dos colaboradores de Recursos Humanos.

A utilização de base de dados está em diversas áreas do setor de RH, como por exemplo na gestão estratégica, nos processos de recrutamento e seleção, nas avaliações de desempenho, pesquisas de clima organizacional, cálculos de folha, férias, controle de jornada e gestão de benefícios.

Nos dias de hoje, é impossível um gestor de RH realizar suas funções sem ter a sua disposição um banco de dados. Estas informações são importantes para diversas análises dentro do setor, inclusive para identificação de profissionais desmotivados, problematizações internas e com isso, construir soluções para cada situação.

Os profissionais de RH trabalham com dados pessoais, produtividade, dados bancários, entre outros pontos, que, quando interceptados por cibercriminosos, podem ser utilizados para fraudes, extorsões, entre outras atividades que coloquem em xeque a segurança dos seus funcionários.

Além disso, a indisponibilidade deles pode prejudicar a ação do setor, que terá problemas para realizar as atividades caso ocorra perda de informações internas. Por isso, é fundamental saber realizar um trabalho de proteção de dados eficiente. E, também, compreender como funciona a LGPD no RH e como atuar em consonância com a legislação vigente.

Quais as medidas a serem tomadas com aplicação da LGPD?

A área de RH precisará se adequar aos procedimentos da lei, visando o melhor uso e preservação dos dados dos colaboradores e candidatos. O setor precisará de uma documentação de consentimento do uso dos dados do colaborador ou candidato, onde conste qual a finalidade da utilização e por quanto tempo será armazenado. Dentre as rotinas que irão exigir atenção, destacam-se os pontos abaixo:

  • Banco de currículos;
  • Dados para admissão;
  • Dados fornecidos à seguradora do plano de saúde;
  • Dados compartilhados com a empresa responsável por fechar folha de pagamento;
  • Envio de dados para o sindicato e órgãos públicos;
  • Exames admissionais;
  • Dados pessoais (endereço, dados bancários, contatos de emergência, entre outros).

A lei exige que só poderá ser coletado, informações que sejam realmente necessárias para as atividades da empresa. Por isso, é importante tomar cuidado em relação aos processos de recrutamento e seleção.

Quando for criá-lo, avalie a necessidade do pedido de determinados dados, tais como gênero, estado civil, religião, orientação sexual entre outros tipos de informações que não estão ligadas diretamente com o propósito de contratar funcionários capacitados.

Esses cuidados não se limitam apenas à seleção de colaboradores que já fazem parte do quadro da empresa, tenha ainda mais cautela com dados sensíveis, tais como atestados médicos e informações de utilização de planos de saúde.

A área de recursos humanos ainda é responsável por manter a cultura organizacional conforme insere novos colaboradores a empresa.

Toda a organização deve estar ciente que é responsabilidade de todos, como um time, garantir que informações não vazem.

Quais os próximos passos?

Junto ao time de TI, é importante garantir que os softwares utilizados nas áreas de RH e Departamento Pessoal sejam confiáveis e tenham uma boa política de proteção de dados.

Por fim, construa suas políticas de proteção de dados junto ao jurídico. Caso não tenha um departamento interno, procure uma consultoria jurídica especializada. Com isso, garante-se que sua empresa tenha um maior alinhamento com a lei.

A Etecon compreende a importância de se manter alinhada a lei. Por isso, temos cuidado redobrado com as informações de nossos clientes e colaboradores.

Compartilhe: